Significava a rendição da própria vida – Parte 9

Consagração 3 - parte 1- figura

Capítulo 3 – Consagração

De modo franco e aberto, Jesus afirmou: “Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo.” (Lucas 14:33)

Estamos selecionando textos do livro Plano Mestre de Evangelismo, de Robert Coleman. Desejamos que venham a ser uma bênção para o seu ministério.

Jesus exigia obediência

Jesus esperava que os homens que o acompanhavam lhe fossem obedientes: não requeria que fossem espertos, mas tinham de ser leais. E isso se tornou o sinal distintivo dos discípulos, mediante o qual poderiam ser conhecidos. Eles foram discípulos, que significava que eram aprendizes ou alunos do Mestre.

A simplicidade desse método de abordagem é maravilhosa se não mesmo atordoante. Nenhum dos discípulos foi solicitado, a principio, a fazer qualquer declaração de fé ou a aceitar algum credo bem definido, embora sem dúvida já tivessem reconhecido que Jesus era o Messias prometido. Por enquanto, tudo quanto lhes foi pedido é que seguissem a Jesus.

O caminho da cruz

Seguir a Jesus pode ter parecido fácil a principio, mas isso é porque ainda não o haviam seguido por muito tempo. Logo se tornou patente que ser discípulo de Cristo envolvia muito mais do que a jubilosa aceitação da promessa messiânica: significava a rendição da própria vida… ao Mestre, em absoluta submissão ao Seu senhorio. Não poderia haver nem um outro compromisso.

Tinha de haver total abandono do pecado. Os antigos modos de pensar, os hábitos e os prazeres do mundo, teriam de conformar-se às novas disciplinas do reino de Deus.

Um treinamento severo

Não eram muitos os capazes de suportá-lo. As multidões gostavam de ser consideradas seguidoras de Jesus quando Ele lhes enchia o estomago de pão e de peixe; porém, quando Jesus começava a falar acerca das verdadeiras qualidades espirituais do reino de Deus e do sacrifício necessário para serem alcançadas, houve a ocasião em que muitos de Seus próprios discípulos ―…o abandonaram e já não andavam com ele. Segundo eles mesmos declararam: ―duro é este discurso; quem o pode ouvir? (João 6:60).

Simplesmente era impossível a alguém seguir a Jesus, através da reta vereda de sua vida, sem desprender-se totalmente deste mundo…

Jesus alerta os que desejam segui-lo

“As raposas tem seus covis e as aves do céu ninhos; mas o filho do homem não tem onde reclinar a cabeça.” (Mateus 8:20)

“Ninguém que, tendo posto a mão no arado, olha para trás, é apto para o reino de Deus.” (Lucas 9:62)

 

Significava a rendição da própria vida – Parte 9
Classificado como:        

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *