Um grande consolo para o Mestre – Parte 10

Consagração - Parte 10 - homem

Se me amais, guardareis os meus mandamentos…

Jesus havia escolhido aquele pequeno grupo e solicitado que o seguissem, iria fazer deles pescadores de homens: ”deixando tudo, o seguiram”. Jesus iniciava assim o treinamento de seus líderes.

Hoje vamos continuar com os pensamentos de Robert Coleman
em seu livro Plano Mestre de Evangelismo, dando sequência ao capítulo 3 – Consagração.

Poucos querem pagar o preço

Na realidade, quando os oportunistas deixaram de segui-lo, em Cafarnaum, porque Ele não quis satisfazer as expectações populares, Jesus ficou apenas com um pequeno punhado de seguidores. Voltando-se então para os doze, perguntou-lhes: ―Porventura quereis também vós outros retirar-vos? (João 6:67)

Foi uma pergunta crucial

Se aqueles últimos homens deixassem de segui-lo, que restaria do ministério de Jesus? Mas Simão Pedro replicou: “―Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras da vida eterna; e nós temos crido e conhecido que tu és o santo de Deus” (João 6:68, 69).
Verdadeiramente, essas palavras do apóstolo Pedro devem ter servido de grande consolo para o Mestre, pois dali em diante Jesus começou a falar a seus discípulos mais abertamente a respeito de seus sofrimentos e de sua morte, com muito maior franqueza do que antes.

Obedecer é aprender

Isso não significa, entretanto, que os discípulos tivessem entendido imediatamente tudo quanto o Senhor lhes dizia. Longe disso. Sua capacidade em apreender as verdades mais profundas do ministério vicário do Senhor era anuviada por todas as limitações da debilidade humana.
Os discípulos tropeçaram a princípio, não entendendo a sua própria posição no seio do reino de Deus. Para eles era dificílimo aceitar o ensino de uma humilde servidão em favor dos outros…
Jesus suportou pacientemente todas essas falhas humanas… porquanto, a despeito de todas essas deficiências, estavam dispostos a segui-lo.
A OBEDIÊNCIA a Cristo, portanto, era o próprio meio através do qual aqueles que estavam em companhia Dele aprendiam mais e mais da verdade.

A prova do amor

De forma suprema, a obediência foi interpretada por Jesus como a grande expressão do amor. Essa lição foi sublinhada de maneira mais enfática na véspera de sua morte.
Quando os discípulos se reuniram em volta Dele, no cenáculo, logo depois da refeição pascal, Jesus disse:

―”Se me amais, guardareis os meus mandamentos… aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama”
João 14:15

(Extraído do livro Plano Mestre de Evangelismo, de Robert Coleman, Ed. Mundo Cristão)

Um grande consolo para o Mestre – Parte 10
Classificado como:            

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *