Nada foi negado – nem a sua própria vida (Parte 12)

Transmissão - BLOG 3 - João 17.26Transmissão – Capítulo 4

Somente sob essa luz – quando o Filho é colocado no lugar do mundo – é que podemos começar a compreender a magnitude da cruz.

Hoje iniciamos o capítulo 4 do livro Plano Mestre de Evangelismo: TRANSMISSÃO. São alguns textos selecionados.

Ele deu de si mesmo

As exigências no tocante à disciplina foram aceitas sem argumentos. Os discípulos entenderam que não estavam meramente observando a lei, mas estavam respondendo para Aquele que os amara, e que estava disposto a dar a vida por eles. A vida de Jesus consistia em dar-se.
Ele lhes deu a sua paz.. Ele lhes deu a sua alegria, com a qual Ele labutava em meio a sofrimentos e tristezas que o cercavam por todos os lados… Jesus deu tudo quanto tinha – nada foi negado, nem a sua própria vida.

A obra do Espírito Santo

A natureza corrompida do homem tem de ser conformada segundo o verdadeiro propósito de Deus, à imagem divina… Foi o Espírito que sustentou e nutriu a vida transformada dos discípulos, ao continuarem eles a crescer em conhecimento e graça.
Através da atuação do mesmo Espírito de Deus é que alguém pode ser purificado pela Palavra, ficando separado para o santo serviço de Deus. De igual modo, é somente por intermédio do Espírito de Deus que alguém é habilitado a cumprir a missão redentora do evangelismo.

O Agente de Deus

O Espírito Santo era o agente de Deus, que realmente punha em efeito, nos homens, o plano eterno da salvação. Por essa razão é que Jesus esclareceu, aos seus discípulos, que o Espírito haveria de preparar o caminho para o ministério deles.
Ele lhes daria as palavras que deveriam falar. Ele convenceria o mundo …do pecado, da justiça e do juízo. Ele iluminaria a verdade para que os homens pudessem vir a conhecer ao Senhor .

Um projeto divino

Mediante o poder do Espírito Santo os discípulos, segundo lhes foi prometido, teriam o poder de operar as mesmas obras de seu Senhor . Debaixo dessa luz, o evangelismo não foi interpretado de maneira alguma como um empreendimento humano, e, sim, como um projeto divino.
Do principio ao fim seria uma obra do Espírito. Tudo que os discípulos foram solicitados a fazer foi permitir que o Espírito Santo tivesse as rédeas completas de suas vidas.

“Eu lhes fiz conhecer o teu nome, e ainda o farei conhecer, a fim de que o amor com que me amaste esteja neles e eu neles esteja.” João 17:25, 26

(Extraído do livro Plano Mestre de Evangelismo de Robert Coleman, Ed. Mundo Cristão)

 

Nada foi negado – nem a sua própria vida (Parte 12)
Classificado como:        

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *